MARIA KAVUNGO, NOVA ADMINISTRADORA ESPERADA NO MUNICÍPIO

Publié le par LUVUVAMO YALA DAMBA

DSCF2412

DAMBA ESPERA RECEBER  MARIA KAVUNGO A NOVA ADMINISTRADORA MUNICIPAL

 

Decorreu no passado dia 27 de Julho de 2011, na sala de sessões da antiga Câmara municipal da capital da Província do Uige, a cerimónia de posse de responsáveis para vários sectores da estrutura do governo da província e de administradores municipais dentre esses, a Maria Kavungo, a nova administradora de Damba, substituindo assim, o Senhor Sebastião Muanza.

 

Essa sessão dirigida por sua excelência Paulo Pombolo, governador Provincial do uige, acontece um ano antes das eleições previstas para 2012.

 

De acordo o site anadamba, o governador do uige, apontou como prioridades para Damba, a energia eléctrica e a agua tratada e outras tarefas ( não identificadas ) constantes na agenda da nova administradora, as que considerou de projectos mais concretos de que Damba deverá continuar em progredir. Nada se adiantou quanto ao paradeiro da administradora adjunto !

 

Pelo discurso do Senhor Governador, pode se compreender a sua preocupação na busca de administradores capazes de gerir de uma forma correcta e responsável do programa de combate a pobreza afecto a província do bago vermelho que dirige, tal como exortou aos presentes: <OS NOVOS ADMINISTRADORES DEVEM ENVOLVEREM-SE CADA VEZ MAIS NA GESTÃO CORRECTA DO PROGRAMA DE COMBATE A FOME E A POBREZA > sic.

 

Ora, toda reforma ou iniciativa que visa trazer melhorias para Damba, é bem vinda para todo muana Damba; logo, com bom agrado recebemos essa notícia através do site, pesa ignorar se a TPA divulgou a presente matéria, salvo quando estávamos sob corte de luz constantes e muita as vezes permanente de que a nossa sociedade ( Luanda) tem sido vitima.

 

DAMBA TEM AGORA UMA NOVA ADMINISTRADORA- MARIA KAVUNGO- proveniente do município de Kitexe. Seu perfil não bem conhecido, mas que se prontificam para junto das populações de Kitexe para se inteirar da personalidade da nova mãe do município. Pelo que se deve prever bons dias, tendo em conta as melhorias operadas no município de Kitexe onde ela administrou antes de ser nomeada para Damba por um lado e por outro, a preocupação do Senhor governador em querer fazer história dentre dos governadores já enviados nesta Província.

 

EM QUE ALTURA ACONTECE ESSA REFORMA ? Um ano antes das eleições de 2012 que se apresenta como período desafiante que exige a implementação de programas de requalificação urbanísticos, programa contra a fome e pobreza e mais realizações no sentido de atrair a confiança das populações e provar a capacidade interventiva e do cumprimento das promessas assumidas na eleição passada de 2008.

 

QUAL FOI A PERSPECÇÃO DO Sr. GOVERNADOR FACE A VIDA DE DAMBA ? município moribundo, triste, desesperado, injustiçado, negligenciado,,abandalhado, esquecido, órfão, menosprezado, fatigado  etc.…“É preciso animar o município Damba, dando-lhe um ar diferente” frisou. Trata-se de um sentimento de reconhecimento de facto do município de Damba precisar de intervenção, de prestação de atenção por parte da governação que há muitos anos permaneceu insensível aos problemas de Damba em ralação aos demais municípios de Angola.  Com certeza, o Senhor Governador deve ter em posse um diagnostico mais claro sobre as necessidades deste município que bem gerido, pode constituir pulmão no desenvolvimento da província do Uige e contribuir para o bem estar de todos angolanos.

 

QUAL É A VISÃO PRIORITÁRIA DO GOVERNADOR PARA O DAMBA ?

 

 Energia electrica e água potável como referiu (canalizada) e outras tarefas (não definidas )constantes na agenda da nova administradora. A questão da energia eléctrica para Damba já foi referenciado pela Sra ministra da energia e água, quando o município de Maquela do Zombo recebia a luz das primeiras lâmpadas eléctricas, em 250 residências, na história de Angola. A Senhora Ministra assegurou na altura do seu discurso de que Damba podia com a central de transformação montada no Maquela, ver-se contemplado no beneficio da electricidade proveniente da barragem do Kwanza-Norte. Só que desde aquele período, nada ainda está em vista pelos habitantes e anadamba, de sinais de cumprimento dessa promessa, afirmação feita pela ministra: Nem posto de luz, nem buraco, nem cabo, nem maquina nem nada ! agora que a questão da Luz é focada pelo o Governador Paulo Pombolo, como prioridade, não se sabe se vão simplesmente procurar alimentar a sede do município com o gerador eléctrica existente, ou vão investir no sentido a que o projecto de Luz de Maquela chegue a servir todas populações do município nas suas regedorias e aldeias. O que tem no Damba, quanto as prioridades enunciadas, são pessoas a cavar na Vila, no sentido de canalização de água potável, parece a luz do programa água para todos ! dessa matéria, vemos um paradoxo ! se é água para todos entende-se de que todo povo no território Damba deve ver-se contemplado. A pessoa não deve esperar ir na Vila do município para provar uma gota de água que jorrar de uma torneira !

 

DAMBA NÃO É SOMENTE A VILA DE DAMBA; TAL COMO UIGE, NÃO É SOMENTE O CENTRO DA CIDADE CAPITAL DA PROVÍNCIA DO UIGE !

 

O QUE DAMBA ESPERA TER?

Igualdade de tratamento em direitos e oportunidades para o seu desenvolvimento, a consolidação e fortalecimento da DEMOCRACIA para a convivência de suas populações, são obrigações que devem ser assumidos pelos Governos ( local e central), na concessão de politicas que visam erradicar o medo nas pessoas, para que livremente participem na vida pública de Angola, sem serem perseguidas ou que perseguem aqueles que não se fixarem na sua organização politica. Essa vontade visa especialmente libertar as consciências dos AnaDambas e especialmente  os SOBAS com base a orientação do governo para o município e a realização de campanhas de educação moral e Cívica as comunidades com a ajuda dos partidos políticos e sociedade cívil.

 

Damba precisa ter as instituições do estado funcional e os sectores como a agricultura mecanizada, o Pecuário revitalizado, o comercio ressuscitado, Educação completada, Desporto, cultura e lazer generalizados, Infra-estruturas confortáveis, Saúde assegurada e confiante, Telecomunicações preenchida cobrindo todo o território, Informação com livre circulação e sem censuras para os profissionais e povos, os quadros devidamente enquadrados com condições sociais de habitabilidade, instituições bancárias, estações de venda de combustíveis, Jardins infantis, Jardins botânicos, arborização das vias, Um estádio Municipal e mais campos desportivos, Vias e sinais de televisão pública etc.. tudo operacionais, no sentido de dar as populações as condições básicas para o desenvolvimento.

 

A rádio comunitária está a prestar serviço julgado aceitável de momento, pesa desconhecermos ainda haver dificuldades, as quais só poderão ser mencionados pelos quadros em serviço na estação, o que deverá merecerá uma resposta adequada evitando se assim a fuga de cérebros.

 

A UNITEL, que opera no município conseguiu instalar mais uma antena na localidade de Kazumbi, o que de certo modo dá luz de esperança no túnel de que no futuro próximo se coloque mais 6 antenas para de certo modo riscar uma vez por toda a impossibilidade de navegar na internet e de nunca recorrer as montanhas ou subida nas árvores como condição para telefonar.

 

A estação de venda de gasolina localizada na Vila já tem instrumento próprio ( Bomba), mas que me parece continuar ainda manual. Para o município inteiro, precisa-se de 37 bombas para servir as populações que passaram a usar cada vez mais geradores eléctricos afim de fazer funcionar os televisores que com a ajuda da instalação de antenas parabólicas ajudam acompanhar as notícias e programas das TPAs, o petróleo e gasóleo para os candeeiros e mais outras necessidades

 

A empresa Chinesa responsável pela construção da Via de Mukaba, a que parte da Regedoria de Missão Ndemba, Kicumba-Lemboa , traversa Mukaba até a Cidade do Uige, no caminho de Songo já retomou os trabalhos a mais de 3 meses.

 

O Povo sabe que dentre da necessidade de melhorar a situação do município, que deve necessariamente contar com seu esforço; também reitera sua posição de que o governo deve necessariamente fazer a parte que lhe convém, aliás quando se concebe programas, a nível nacional se tem tido sempre em conta o território nacional, dentro o qual, Damba faz parte de um dos 163 municípios da República de Angola.

 

É hora do município de Damba ser tido aposta na implementação de qualquer programa seja esse ambicioso ou não, mas que contribua para a elevação a mais alto nível o prestigio e qualidade de vida para seu povo e território.

 

Os Ana dambas tem o dever de participar em todas as formas que se requer, no sentido de tornar o município produtivo e capaz de autosustentar-se num futuro próximo e ser referenciado no balanço anual de Estado angolano como um dos municípios que estimulem o crescimento económico e que apoia orçamento geral do Estado.

 

A nova administradora, a senhora Maria Kavungo é esperada no Damba, com uma carteira cheia de tarefas que não soubemos se entre essas tarefas não denunciados pelo senhor Governador Paulo Pombolo, constam as tarefas para dar respostas as necessidades já algumas delas descritas. Prestemos-lhe apoios quando necessitar, com todo calor e hospitalidade que caracterize o modo Dambiano, e juntos com interesses assente na Democracia pluralista e participativa, com respeito a cidadania, liberdade visando a modernidade, respeitando a Lei e os direitos humanos construamos Damba para o bem de todos os angolanos.

 

Sem Damba, Angola não é República de Angola.

 

Angola só poderá se orgulhar ser uma potência de dimensão continental quando souber prestar atenção aos angolanos e ao todo o território nacional sem assimetrias regionais.

 

O Povo é chamado a monitorar a execução dos programas do governo e a fiscalizar o comportamento dos seus dirigentes.

Publié dans Politica

Commenter cet article